Corrói amar sem ser correspondido?!

Corrói amar sem ser correspondido?!

Esta frase é muito interessante. Interessante porque possui três palavras que trazem consigo diversos significados e, mais que isso, uma gama de afetos. O que é se sentir corroído? O que é amar? O que é ser correspondido?

Cada uma dessas palavras varia de acordo com o sujeito, pois cada um sente e percebe o que acontece ao seu redor de forma pessoal, determinada por suas experiências de vida. O que é corrosivo para um pode nem ser desagradável para o outro. E isso também serve para amor e compreensão, pois cada um tem suas necessidades…

Primeiro temos que identificar o que é o amor, o que cada um percebe como sendo esse sentimento para si. Inicialmente podemos tratar o amor como sendo uma palavra que representa um conjunto de sentimentos, conjunto este composto pelo respeito, confiança, carinho e outros. Sentimentos que surgem como fruto da troca de experiências entre os parceiros. Não se faz amor, vive-se o amor. Ele é construído e evolui com as felicidades, tristezas, acontecimentos da vida do casal.

O fato de ser correspondido é muito relativo, pois não podemos agir de modo a esperar algo do outro. O amor é um conjunto de sentimentos vividos pelo indivíduo em sua particularidade, a correspondência pode ser tratada de maneira subjetiva, pois ela se dá ou não por expectativas que se criam em cima do parceiro. Ser correspondido então não é o outro dar aquilo que achamos que precisamos, mas sim existir uma relação de troca onde os sentimentos pertinentes ao amor surjam e se mantenham de forma natural, e não baseados em cobranças, dúvidas e desconfianças.

Corroer-se é o resultado do processo criado pelo sujeito que diz amar, mas não é correspondido da maneira que deseja (expectativas).

Então, a interessante frase “Corrói amar sem ser correspondido?” pode ser desmembrada e explicada assim, como um conjunto de afetos desejados, criados e vividos pelo sujeito.

No Comments

Post A Comment