Se o sonho acabou, vá para outra padaria!

Se o sonho acabou, vá para outra padaria!

Recentemente estive lendo um artigo que fala sobre a sociedade contemporânea e a grande força negativa que a ansiedade vem causando nas pessoas. Ao mesmo tempo venho passando uma fase de transição e transformações em minha vida, o que me traz um tempo de baixa criatividade e inspiração.

Acredito, obviamente, que essa entressafra tem ligação direta com meu momento de vida, que está sendo alimentado basicamente por anseios, desejos, expectativas e sonhos. Um prato cheio para a ansiedade e seus não tão belos sintomas, com reflexos emocionais, comportamentais ou corporais.

Uma das frases bem interessantes desse artigo dizia: “Aproveite a caminhada”. Estava em inglês e gostei tanto que pensei em utilizar em um dos meus perfis nas redes sociais ou até tatuá-la no meu corpo. Exagero? Talvez!

Fiz algo melhor. Resolvi escrever e tentar colocar em palavras tais sentimentos e conflitos internos do momento…

Até o momento não parece existir muito nexo entre o título do texto e o que falei nos parágrafos anteriores. Por incrível que pareça, há, sim, uma conexão bem grande, ao menos para mim. Ou talvez eu tenha gostado tanto do título que tenha resolvido colocá-lo nesse texto. Vamos combinar o seguinte: fica a critério de cada um, sem ansiedade, nomear ou classificar o que já foi dito e o que está por vir.

Acredito muito que devemos ter metas e objetivos, desejos e sonhos, ilusões e fantasias. Tudo isso faz parte da essência humana, diferenciada sua intensidade de acordo com cada um e seu momento de vida. O que não pode deixar de existir é um estímulo para caminhar.

Caminhe para frente olhando para frente, só não deixe de aproveitar a caminhada, pois é ela que irá lhe dar a satisfação ao conquistar o ponto de chegada, que passará a ser o novo ponto de partida, mesmo que ele não seja o esperado ou o escolhido.

Aí que é o momento de ir para outra padaria, acreditar que sempre podemos ir mais longe, realizar mais, aproveitar o máximo, ser melhor para si e para o outro. Ter a consciência que o pseudo controle das coisas ou a sensação de achar que sabe como ir para onde quer ir nem sempre é a melhor forma ou a verdade única.

Independente da distância que a padaria está da sua casa (você mesmo) não deixe de ir até lá. Se lá não se encontra o sonho que você quer, se o sabor não lhe satisfaz, se a validade passou ou se o padeiro reservou para outra pessoa, use os aplicativos de sua experiência de vida e recalcule ou trace uma nova rota para outra padaria, pois lá pode ter o que você procura.

Não desista de caminhar, sonhar, acreditar e querer!

Se o final não foi feliz é porque ele ainda não chegou!

No Comments

Post A Comment